Postado em 18 de agosto, 2010 | Por Luruk

0

[SEXTA 20/08] Matheus Torreão no Quintal do Lima

MATHEUS DO GELEIA DO ROCK FAZ SHOW NO QUINTAL DO LIMA

O músico Matheus Torreão – um dos finalistas do Geleia do Rock, do canal Multishow, se apresenta com a sua banda A Caravana do Delírio nesta sexta-feira (20/08), às 22hs, no Bar Quintal do Lima. Matheus vem sendo considerado o melhor compositor do reality show e suas músicas foram muito elogiadas por artistas de renome que visitaram o programa, a exemplo de Fernanda Takai e John (Pato Fu), Rogério Flausino e Marco Túlio (Jota Quest), Carlinhos Brown, Adriana Calcanhoto e Dado Villa-Lobos. No repertório, músicas autorais aclamadas no programa e pelo público, a exemplo de “Sistema Nervoso” – que já é considerado um hit; “Adeus meu Rock’n Roll”, “O romântico em mim”; “Baião do Apocalipse”, “Mãonogamia”, entre outras.  A apresentação é promovida pelo Coletivo Rizoma e conta ainda com a banda Diablo Motor. O ingresso custa R$ 5,00. O Quintal do Lima fica na Rua do Lima, 100, Santo Amaro. Informações:(81) 9684.8509 – Matheus Torreão

SOBRE A CARAVANA DO DELÍRIO

A banda lançou no ano passado seu primeiro EP “Glamourosa comédia pop”, que conta com cinco faixas autorais: “Adeus meu Rock’n’ Roll, “Sistema Nervoso”, “O Romântico em mim”, “Eu não tenho consciência blues” e “Mãonogamia, que tem participação de Johnny Hooker, além das meninas da Onomatopéia Bum – Sofia e Maíra Egito no backing Vocals de quatro faixas. A ilustração e design da capa ficou a cargo do designer Celso Hartkopf.  E os meninos já se preparam para lançar o segundo EP em breve.
No final do ano passado, ocuparam o segundo lugar no festival de música da UFPE, o Sonora UFPE, e na bagagem carregam o prestígio de terem sido escolhidos pelo gaúcho Wander Wildner para serem sua banda de apoio em Recife, em temporada no início de 2009, cuja seleção e pesquisa se deu através da rede social MySpace. “Fiz uma temporada em Recife, e já tinha sido acompanhado lá pela The Playboys, pela Paulo Francis e pela Má Companhia, só que no verão eu queria uma banda nova, não queria fazer um show de rock, queria fazer outra história. Eu comecei a pesquisar na internet bandas de Recife até que encontrei A Caravana do Delírio, que me surpreendeu pelo som. Os meninos tinham 17 anos, e tinham uma banda que não era uma banda de rock. Era uma banda de música”, comenta Wander Wildner. Com o roqueiro, A Caravana fez apresentações no Domingo no Campus, Burburinho e Quintal do Lima.
Os garotos vêm obtendo reconhecimento através do MySpace, –  onde o single “Sistema Nervoso” já é hit, e das apresentações em diversos lugares da cidade, como Livraria Cultura, Sopa de Auditório, Projeto Observa e Toca na Torre Malakoff,  Oi Novo Som, UK Pub, Armazém 14, Cuba do Capibaribe, Projeto Fonograma da Casa na AESO, entre outros.

ORIGEM – A Caravana do Delírio é uma banda recifense que nasceu de uma amizade de colégio em 2006. Na época, os integrantes estavam mais interessados em reviver décadas passadas tocando-as do que abrindo livros, e assim foi: Beatles, Raul Seixas, Cazuza e Ultraje a Rigor formam o coro de influências para que A Caravana do Delírio reproduza a beleza de uma época já passada, mas nunca esquecida.

O estudante de jornalismo da UFPE e vocalista Matheus Torreão empresta a voz às suas composições e toca baixo, acompanhado de Danilo Gonçalves e Vinícius Barros nas guitarras e Paulo Priori na bateria. Curiosamente, a força da banda vem de sua simplicidade: cada harmonia, cada nota e toda rima faz as canções terem os apelos universais do sentimento espontâneo. A Caravana do Delírio é uma banda singular entre tantas pela facilidade com que suas canções tocam quem as escuta.
E, o grupo caiu no gosto de músicos e produtores culturais, novatos e veteranos, a exemplo de Roger de Renor: “O que eu entendo mesmo é de gente, e adoro histórias sobre elas, principalmente as que ajudam elas a melhorar como tal. Gosto de ouvir isso como música, e principalmente assim, com bandas que não estão nem aí pra invasão Sueca ou coisa parecida da originália moderna. Emocionei-me com A Caravana do Delírio pela imagem das más influencias de cada um, um som com a elegância confortável de um traje impecável, comprado bem ali no brexó da esquina”.
Também já foram citados em entrevista a uma revista cultural pernambucana pelo DJ Dolores: “A música é do Recife porque é feita aqui. E ponto final! Niilistas cheirando a leite, filhos de uma classe média apática e entediada, moleques superdosados de internet, filmes e games, assistindo a tragédia do mundo em telas de LCD, passeando pelas ruas sebosas do Recife Antigo, coerentes na insatisfação como na letra d’A Caravana do Delírio: ‘o povo unido sempre sai ferido’ (…) ‘te cuida, meu filho, não deixa o sistema nervoso’. Cinismo em baldes, descrença, mas não falta de inteligência”.

Tags: , , ,


Sobre o Autor

Criadora do Espalha Fato. Viciada em séries como The Good Wife e Will and Grace, além de milhares atuais. Fã dos anos 80, suas músicas e clássicos do cinema. Fotografa, blogueira e desenhista por paixão. Web Design por formação.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑