Postado em 5 de dezembro, 2014 | Por Luruk

0

Você quer: Fitbit seu novo relógio/desejo de consumo

O mercado de aparelhos vestíveis está crescendo de pouco em pouco, mas as expectativas que temos em relação a esse tipo de gadget são enormes. Um dos segmentos que mais chama atenção dentro deste universo é o de relógios inteligentes — o que fica bem claro com a chegada do Pebble, do Apple Watch e também dos diversos aparelhos que já foram confirmados com o Android Wear.

Se você conhece um pouco sobre esse tipo de tecnologia, já deve ter visto que muitas das principais funções anexadas a eles estão relacionadas ao mercado esportivo. Isso pode ser visto em medidores de batimentos cardíacos, rastreadores de atividades e muito mais. O problema é que a duração das baterias dos smartwatches impede que eles sejam usados por períodos prolongados.

Mas pensando em acabar com esse problema, reunindo uma série de funcionalidades de alta categoria e ainda oferecendo muito mais para os consumidores, uma empresa chamada Fitbit está pronta para trazer um smartwatch fitness capaz de deixar qualquer fã de tecnologia e esportes com muita vontade de comprar um novo aparelho. Estamos falando do Surge, que chegará ao mercado no começo do ano que vem.

Pensado para os atletas

Se você quer mais do que um medidor de distâncias no seu relógio inteligente, o Surge pode resolver seus problemas com bastante facilidade. Além de realizar os rastreamentos de quanto o usuário andou, correu ou pedalou, ele também informa o tempo percorrido em cada atividade, indica a quantidade e a angulação das elevações presentes no caminho e ainda faz medições médias no ritmo.

O visor do relógio também permite que as rotas predeterminadas sejam mostradas diretamente no aparelho, sendo que ainda é possível modificar caminhos e ter acesso a relatórios em tempo real durante os exercícios. Basta deslizar o dedo sobre a tela para que todas as informações relacionadas a isso sejam exibidas.

Vale dizer que o principal recurso utilizado nesse sistema é um localizador por GPS. É com base nele que o Surge consegue realizar todas as medições e cálculos para fazer com que os relatórios de atividades físicas fiquem muito mais completos. Tudo isso ainda conta com gráficos para facilitar a demonstração das informações aos consumidores que querem acompanhar a própria evolução.

A importância dos batimentos

Boa parte dos aplicativos fitness que possuímos em nossos smartphones permitem que vejamos quantas calorias foram gastas em cada atividade. O problema é que esses cálculos são baseados em pesos e alturas médios em relação à distância e ao tempo — o que pode significar um número muito diferente da realidade, de acordo com o peso, a altura e a atividade metabólica de cada indivíduo.

Por essa razão, aparelhos que possuem medidores de batimentos podem dar informações bem mais completas. É verdade: a quantidade de batimentos cardíacos durante as atividades — utilizada num cálculo que também envolve todos os outros fatores já mencionados — pode fazer com que os relatórios sejam ainda mais interessantes, e o Surge promete isso diretamente no pulso, sem precisar de mais nenhum periférico.

É importante dizer que o sensor de batimentos age muito além dos momentos em que os exercícios estão sendo mais pesados. Monitorando também outras atividades diárias, o Surge pode usar as informações coletadas para mostrar os momentos em que os consumidores estão mais estressados ou ansiosos. Com o auxílio de oito sensores, ele pode também medir passos e calcular calorias em caminhadas até o trabalho ou em outros deslocamentos.

Sem limitações de exercícios

Pulseiras fitness geralmente são criadas para que sejam rastreadas distâncias e velocidades, sem muitas demonstrações mais complexas de outros dados, mas o Surge da Fitbit pode estar chegando para revolucionar esse conceito. Isso porque os desenvolvedores prometem que o aparelho vai chegar no mercado com funções capazes de medir e gravar atividades que vão além das corridas e pedaladas.

Devido aos sensores e à programação do aparelho, ele permitirá também que os usuários façam análises de suas atividades em treinamentos de força, exercícios aeróbicos, escaladas, treinos mistos e funcionais. Ainda não há detalhes de como isso vai funcionar exatamente, mas as expectativas para que algo desse tipo seja integrado aos relógios é bem grande.

Qualidade do sono

Algo que realmente inova no Surge é um sensor para verificar a qualidade do sono de cada usuário. Isso mesmo, a desenvolvedora afirma que o aparelho será capaz de identificar os momentos em que os consumidores estiverem dormindo para criar relatórios também relacionados ao modo como cada pessoa repousa — é claro que isso acontece com o auxílio dos sensores e medidores cardíacos.

Também é preciso mencionar o sistema de alarmes presente no aparelho. Segundo a fabricante, os aparelhos fazem com que os seus donos acordem por alarmes silenciosos. Ainda não há informações sobre como exatamente isso acontece, mas se estima que isso aconteça por meio de pequenas vibrações e sons que aumentam gradativamente.

Controle de smartphones

Não é porque o aparelho é inspirado em atletas que ele não pode ser usado como um relógio comum. Ou melhor, como um smartwatch. Assim como vários dispositivos desse tipo, o Surge permite que os consumidores tenham acesso a notificações de diversos aplicativos que estejam em execução nos seus smartphones — como mensagens, chamadas e outros alertas do celular.

Também é possível controlar os players de música dos aparelhos como em qualquer outro smartwach. Segundo a Fitbit, o sistema será compatível com iPhones e também com smartphones com Android ou Windows Phone. Vale dizer que nestes aparelhos será possível instalar apps para criar logs de alimentação, sono e também para receber dicas e motivações.

Para facilitar a vida dos usuários, ele ainda permite que a sincronização — entre os relatórios feitos em smartphones com base nos dados do próprio relógio e computadores — seja feita sem a necessidade de algum cabo. Ou seja, tudo acontece via wireless para agilizar os processos necessários. Todos os relatórios ainda podem ser compartilhados nas redes sociais e comparados com o de outros usuários.

Bateria de qualidade

Um dos pontos fracos vistos na maioria dos relógios inteligentes está na autonomia das baterias. Infelizmente, muitos deles precisam de recargas mais frequentes do que smartphones, o que resulta em experiências bastante limitadas. Esse é um dos fatores que a fabricante quer neutralizar com a chegada do Surge, pois a companhia promete melhor aproveitamento de carga.

Segundo a Fitbit, a bateria do Surge pode durar até sete dias com a utilização regular, o que significa melhor aproveitamento e mais possibilidades para todos os consumidores. Vale dizer também que a recarga é bem rápida, podendo levar de uma a duas horas. Apesar de todas as promessas, a fabricante ainda não revelou qual a capacidade de carga da bateria inclusa no sistema.

…..

O Surge chegará ao mercado norte-americano em 2015, mas ainda não existe uma data exata definida para que ele seja colocado nas prateleiras. O valor de cada unidade será de US$ 249, mas ainda não se sabe quais serão os valores em outros países. Você ficou interessado neste aparelho ou acha que ele vai chegar ao mercado sem grandes chances de se tornar um sucesso?

Fonte(s) Fitbit

Tags: , , ,


Sobre o Autor

Criadora do Espalha Fato. Viciada em séries como The Good Wife e Will and Grace, além de milhares atuais. Fã dos anos 80, suas músicas e clássicos do cinema. Fotografa, blogueira e desenhista por paixão. Web Design por formação.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑