José Andrés

Megyn Kelly atacou Hillary Clinton depois que o ex-secretário de Estado disse a Jimmy Fallon que os eleitores indecisos deveriam “superar-se” antes das eleições deste ano. Ao falar com Glenn Greenwald em seu programa, Kelly insistiu que a resposta de Clinton traz uma mensagem para esses eleitores: “Vocês não importam”.

“Fazer o que é certo para os cidadãos globais, que é claramente eleger ‘aquele que tem compaixão e coração’”, continuou Kelly. “O cara que faltou ao funeral do policial Jonathan Diller, aquele policial caído foi baleado por alguém que já havia sido preso 21 vezes… Aquele que ficava olhando o relógio enquanto os corpos voltavam do Afeganistão para a Base Aérea de Dover, esse é ‘o compassivo’. ‘ apenas no caso de você não estar prestando atenção.”

Greenwald respondeu: “Se eu fizesse parte da campanha de Trump, reservaria o máximo de financiadores que pudesse para pagar a Hillary Clinton para fazer uma viagem de palestras pelos Estados Unidos, porque não consigo imaginar nada mais útil para sua causa do que fazer com que ela seja ouvida tanto quanto possível.

“Todo mundo sabe que ela é uma mulher extremamente rica e poderosa”, acrescentou. “Ela já existe há muito tempo e os americanos estão olhando para seu sistema político. Eles não gostam disso. Eles estão olhando para seu modo de vida e estão muito preocupados. E ela está basicamente dizendo – nem mesmo uma pretensão de empatia – que não nos importamos com sua insatisfação, você precisa fazer o que lhe mandam.”

Clinton visitou “The Tonight Show Starring Jimmy Fallon” para discutir “Suffs”, um novo show da Broadway que ela produziu. Fallon então perguntou se ela gostaria de discutir a eleição presidencial, ao que Clinton disse: “Oh, não. Vamos ficar com o coelhinho da Páscoa.”

Depois que Fallon insistiu que a dupla precisava ter uma conversa política porque as duas opções presidenciais são Biden e Trump, ele acrescentou: “O que você diria aos eleitores que estão chateados porque essas são as duas escolhas?”

“Supere-se”, respondeu Clinton. “Essas são as duas escolhas.”

Em outra parte do programa, Kelly e Greenwald também discutiram a contratação da NBC—e disparando—da ex-presidente do RNC Ronna McDaniel. Depois que ela insistiu que estaria “processando por mais de US$ 600.000” e acrescentou: “Isso é o que essas empresas fazem. Acredite em mim, a NBC tem um histórico disso.”

“Mas eles não são os únicos, onde não basta se separar de você, eles tentam arruinar totalmente na sua saída pela porta. Eles tentam torná-lo desempregado por qualquer outra pessoa. Porque eles são cruéis, malvados, idiotas”, continuou Kelly.

Kelly também acusou a presidente da MSNBC, Rashida Jones, e a apresentadora do “Meet the Press”, Kristen Welker, de mentir sobre seu papel na contratação de McDaniel. “Kristen Welker teve algo a ver com a contratação de Ronna McDaniel”, disse Kelly, “que ela se encontrou com ela em particular junto com outra executiva, Carrie Budoff Brown, vice-presidente sênior de política em meados de fevereiro, o que foi alguns dias depois que Budoff Brown inicialmente entrou em contato com a equipe de McDaniel para avaliar seu interesse em ingressar como colaboradora remunerada.”

Então, ela continuou, assim que McDaniel foi contratado, “eles deixaram a multidão matá-la, emergindo com sua jugular enquanto estava sentado lá, fingindo ser mais santo do que você”.

Assista Kelly e Greenwald no vídeo acima.

Fuente