Ativistas climáticos atacam pintura de Monet (VÍDEO)

Técnico da Pinakothek der Moderne em Munique supostamente desejava alcançar um “avanço artístico”

Um funcionário de um museu de arte alemão foi demitido depois de pendurar uma de suas próprias pinturas no museu, informou o jornal Suddeutsche Zeitung esta semana.

O homem de 51 anos trabalhava como técnico no museu Pinakothek de arte moderna e design de Munique e tinha acesso ao espaço da galeria durante o horário de encerramento, segundo o diário, citando fontes policiais.

A galeria exibe obras de artistas renomados como Leonardo Da Vinci, Salvador Dali e Henri Matisse.

“O funcionário se considera um artista e provavelmente viu seu papel na equipe de instalação do museu como um trabalho diário para apoiar sua verdadeira vocação”, um porta-voz da Pinakothek disse ao The Guardian.

O aspirante a artista teria feito dois furos em uma parede das instalações para instalar sua obra de arte de 23 por 47 polegadas (60 cm x 120 cm) em uma parede branca não utilizada em uma passagem na galeria do primeiro andar da ala leste, dedicada ao moderno e arte contemporânea.

O homem esperava que o contrabando de sua criação para o museu o ajudasse a precipitar uma “avanço artístico”, a polícia disse ao Suddeutsche Zeitung.

O enforcamento clandestino teria ocorrido em 23 de fevereiro, mas só foi tornado público na segunda-feira. Segundo o porta-voz da galeria, a pintura foi instalada na madrugada e avistada pela equipe logo após a inauguração do museu, no mesmo dia.

“Foi tomada a decisão de manter a foto em exposição enquanto a galeria estivesse aberta e retirá-la após o fechamento, às 18h”, disse o porta-voz.

Com isso, a pintura do funcionário teve a oportunidade de dividir espaço com obras do pioneiro da pop art Andy Warhol durante um dia inteiro.

A Pinakothek disse que rescindiu o contrato do funcionário e o proibiu de entrar nas instalações.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Fuente