Musica Youtube

O União Europeia (UE) está a considerar reformas significativas no streaming de música indústria para garantir uma compensação justa aos artistas e uma alocação transparente de receitas. A indústria de streaming de música tem sido objeto de intenso escrutínio na UE. O órgão está preocupado com a justiça da remuneração dos artistas e com a transparência da alocação de receitas. Em resposta a estas preocupações, a UE está a contemplar uma série de reformas. Estas reformas visam abordar estas questões e criar um ambiente mais equitativo para os criadores musicais. A UE anunciou hoje que as reformas apoiarão os pequenos artistas. Isso é para garantir que eles obtenham um acordo justo por seu trabalho árduo.

Reformas propostas

O Parlamento Europeu tem estado na vanguarda do impulso à reforma. Hoje, foi aprovada uma resolução por uma maioria significativa de deputados europeus. Eles pedem uma revisão do desequilíbrio na alocação de receitas provenientes do streaming de música. A resolução reflecte preocupações crescentes sobre a actual distribuição das receitas de streaming e o seu impacto sobre os artistas. A UE disse que precisa enfrentar de frente a questão dos artistas mal pagos e evitar preconceitos. A resolução salienta que a UE não possui atualmente leis e regulamentos específicos sobre streaming de música. Ele também observou que o streaming de música é uma das principais formas de obter acesso à música atualmente. Assim, a UE precisa de ter leis específicas nesta área.

A proposta visa garantir a divulgação e exposição de obras musicais europeias e evite ficar sobrecarregado com a enorme quantidade de novos conteúdos. Os legisladores pediram uma revisão das taxas de royalties desatualizadas da “era pré-digital”. Aponta para esquemas que obrigam os músicos a pagar muito pouco em troca de exposição. A UE está a considerar a introdução de um sistema europeu de quotas para obras musicais para ajudar a aumentar o perfil dos artistas locais.

A nova lei garantiráplataformas de streaming divulgam se usam IA para criar música. Isto ajudará a combater a música “deep fake” que imita artistas conhecidos sem o devido consentimento. Também exigirá transparência sobre algoritmos de recomendação. Isto é para evitar grandes marcas discográficas e artistas populares obtenham distorções recomendações.

Órgãos da indústria apresentam suas recomendações

Além da resolução parlamentar, vários organismos da indústria apresentaram as suas recomendações para a reforma. A Aliança Europeia de Compositores e Compositores (ECSA) publicou um relatório que descreve seis recomendações principais. Isso inclui a necessidade de streaming de preços de assinatura para acompanhar a inflação. Recomenda também maior transparência em torno da atribuição de receitas e medidas para garantir a proeminência e a descoberta da música europeia.

Leitor de música foguete

Gizchina Notícias da semana

Da mesma forma, a Associação de Empresas Musicais Independentes (IMPALA) apelou ao aumento dos preços das assinaturas. Também pede acordos personalizados para os fãs e uma reavaliação da parcela dos direitos master. Isso faz parte de suas propostas para um mercado de streaming mais justo e dinâmico. Estas propostas refletem um consenso crescente dentro da indústria de que são necessárias mudanças significativas para resolver os atuais desequilíbrios no ecossistema de streaming.

Impacto potencial

Se implementadas, estas reformas poderão ter implicações de longo alcance para a indústria de streaming de música. Artistas e criadores de música podem beneficiar de uma distribuição mais equitativa das receitas de streaming, garantindo que sejam remunerados de forma justa pelo seu trabalho. Uma maior transparência em torno da alocação de receitas e das operações de criação de listas de reprodução também poderia ajudar a responder às preocupações sobre a falta de visibilidade da música europeia nas plataformas de streaming.

Do ponto de vista do consumidor, as reformas propostas poderão levar a mudanças nos preços e na disponibilidade das assinaturas de streaming. Embora o aumento dos preços das assinaturas possa ser uma preocupação para alguns, os benefícios potenciais para os artistas e para o ecossistema musical em geral são claros. Além disso, medidas para garantir a proeminência e a descoberta da música europeia poderiam levar a um ambiente de streaming mais diversificado e inclusivo para os ouvintes.

Num comunicado de imprensa da UE, o relator Ivan García del Blanco afirmou:

“O Parlamento Europeu fala em nome dos músicos europeus, que são um pilar importante do mercado de streaming de música. A diversidade cultural e a garantia de que os criadores recebam atribuições e remuneração justa sempre foram a nossa principal prioridade. Por isso, exigimos regras que garantam que os algoritmos e ferramentas de recomendação utilizados pelos serviços de streaming de música, bem como a utilização de ferramentas de IA, sejam transparentes e coloquem os criadores europeus no centro.»

Música da Apple

Conclusão

Os planos da UE para reformar a indústria de streaming de música refletem um reconhecimento crescente da necessidade de resolver os desequilíbrios e a falta de transparência que caracterizaram o setor. Ao defender uma compensação justa para os artistas, uma atribuição transparente de receitas e medidas para promover a música europeia, as reformas propostas têm o potencial de criar um ecossistema de streaming mais equitativo e vibrante para todas as partes interessadas. Embora os legisladores geralmente concordassem que as questões precisavam ser abordadas, a resolução em si não tinha força de lei. É mais um apelo à Comissão Europeia para que reconheça os problemas e inicie um processo legislativo para a reforma. Isso pode levar anos para entrar em vigor, mesmo que a ligação seja bem-sucedida.

Os esforços da UE para reformar a indústria do streaming de música constituem um passo significativo no sentido de dar resposta às preocupações de longa data sobre a justiça e a transparência do setor. Ao seguir as recomendações dos organismos da indústria e das resoluções parlamentares, a UE tem a oportunidade de liderar o caminho na criação de um ambiente de streaming mais equitativo e sustentável para artistas, criadores de música e consumidores.

Biografia do autor

Efe Udin é um redator de tecnologia experiente com mais de sete anos de experiência. Ele cobre uma ampla gama de tópicos na indústria de tecnologia, desde política do setor até desempenho de telefonia móvel. Dos telemóveis aos tablets, a Efe também tem estado atenta aos últimos avanços e tendências. Ele fornece análises e análises criteriosas para informar e educar os leitores. A Efe é apaixonada por tecnologia e cobre histórias interessantes, além de oferecer soluções sempre que possível.

Isenção de responsabilidade: Podemos ser compensados ​​por algumas das empresas cujos produtos falamos, mas nossos artigos e análises são sempre nossas opiniões honestas. Para mais detalhes, você pode conferir nosso diretrizes editoriais e saiba como usamos links afiliados.



Fuente