Carleton entra na cesta.

Menquanto Espanha (65-76) deixou boa parte da possibilidade de fracassar e ainda acreditar na classificação para os Jogos Olímpicos de Paris 2024, o Canadá não deixou dúvidas contra a Hungria (53-67). Nem mesmo os torcedores que lotaram o pequeno Novomatic Arna Sopron mudaram uma partida dominada desde o início (5-15, 7′) pela seleção canadense. O quinto colocado no ranking da Fiba (uma posição atrás da Espanha) e quarto colocado na última Copa do Mundo fizeram o seu trabalho e têm os Jogos de Paris 2024 mais próximos. Eles também são um “inimigo em casa”. Vctor Lapea (Zaragoza, 1975) é seu treinador e conhece a FEB como a palma da sua mão.

Carleton entra na cesta.BASQUETEBOL CANADÁ

No Canadá, as duas peças-chave dos seus torneios recentes repetiram a sua força: Bridget Carleton, com 18 pontos e 10 no intervalo. E Kayla Alexander, com 13 anos em uma partida confortável contra os magiares. Claro, deveria ser um basquete mais ideal para a Espanha. “Eles jogam de forma mais clássica. Três fora e dois dentro”, destacou Raquel Carrera. E assistir ao jogo da galega mais o de Megan Gustafson pode ser uma batalha. “Tudo é complicado. Talvez dêem mais permissividade aos nossos jogadores de fora para pressionarem por dentro. Num torneio como este é possível”, especificou Miguel Mndez.

Mas será uma luta em que a outra bancada conhecerá perfeitamente a Espanha. Por ser um país da categoria masculina e da Copa do Mundo, com o Canadá de Jordi Fernández deixando a Espanha de fora, a seleção feminina também conhece perfeitamente a Espanha. Ela é treinada pelo Vctor Lapea, conhece a FEB porque trabalhou nos juniores e pode deixar a prata no EuroBasket bem perto.. “Estamos muito felizes com o jogo. Pela capacidade física que mantivemos durante o jogo e pela forma como subimos o nível”, confessou após vencer a Hungria.

A Espanha é uma seleção sempre capaz de reagir

Victor Lapea

Lapea tem sido tudo na seleção. Bicampeão europeu sub-18 e como adjunto fez parte de vários sucessos da Seleção Nacional: prata olímpica no Rio 2016, dois ouros no EuroBasket e prata no Mundial. “Temos que não pensar no jogo ganho. A Espanha é uma grande equipa, mostrou isso no EuroBasket e era favorita. Temos de recuperar e fazer compreender que eles são capazes de reagir em todos os momentos”, explicou.

Não somos um time fácil de vencer, sempre damos um jeito de continuar vivendo

Victor Lapea

É isso mesmo, o Canadá tem muitas virtudes. “Somos uma equipa muito competitiva. Não somos fáceis de vencer e sabemos como encontrar uma forma de vencer o nosso rival”, explicou o treinador aragonês. “Há pouco tempo e sempre há coisas táticas. Mas a Espanha vai sair com isso energia especial para tentar quebrar o jogo desde o início”, afirmou.



Fuente