Postado em 19 de julho, 2013 | Por Luruk

0

Comic Con 2013 | Veja o que rolou no painel de 20 anos de Arquivo X

A Comic Con 2013 começou pra valer nesta quinta-feira 18, e um dos painéis de hoje foi em homenagem aos 20 anos da série Arquivo X. Para o evento estiveram presentes David Duchovny e Gillian Anderson, o criador Chris Carter e os escritores Vince Gilligan, Howard Gordon, Darin Morgan, John Shiban, James Wong, David Amann e Glen Morgan. O painel foi organizado pelo TV Guide e começou relembrando os melhores momentos da série, o que arrancou gritos da plateia.

A primeira pergunta foi feita para Gillian Anderson, sobre qual a opinião dela sobre os personagens, agora que passaram 20 anos e ela respondeu: “Eu acho que eu não sabia que Mulder era tão legal, alguns anos atrás, eu pensei: ‘Caramba. Eu deveria ter começado lá mais cedo.” E relembrou de sua experiência ao assistir pela primeira vez Arquivo X: “Mesmo antes do primeiro comercial eu já estava viciada. E posso afirmar que não existiria Breaking Bad, sem Arquivo X. E eu tive a sorte de fazer parte da série”.

Duchovny citou a força de Arquivo X, como o fato de que “a série poderia ter qualquer possibilidade. Sempre foi muito flexível e pode abranger qualquer ideia. Poderíamos fazê-lo para sempre.” E a pergunta que todos aguardavam simplesmente surgiu: Como estão os futuros projetos para Arquivo X? “Eu sempre pensei que podemos voltar a nos reunir, quantas vezes pudermos, então vamos fazer!”, disse Duchovny. Perguntaram então, se a série ganharia uma 24a temporada e Anderson rapidamente respondeu: “Não. Mas, um filme seria ótimo. “Finalmente, quando perguntado se um terceiro filme estava nas cartas Carter respondeu: “Você precisa de um motivo para ficar animado e fazê-lo de novo, porque é um trabalho muito duro, mas ao mesmo tempo é muito emocionante.”

Sobre a ligação entre os quadrinhos e a série, Carter disse: “É uma série em quadrinhos, então eu acho que as histórias são realmente mais comic book. É chamado de ‘Estação 10’, mas as histórias em quadrinhos têm o seu próprio estilo.” O filho de Shiban cresceu e apareceu para dar um “oi”, no painel. Quando os escritores foram questionados sobre a decisão de matar os Pistoleiros Solitários, Gilligan revelou: “Nós tivemos uma grande discussão sobre isso. Eles são personagens incríveis…”

Morgan e Wong falaram sobre “Home”, um episódio um tanto infame que foi extremamente bem recebido, mas retirado do ar depois de sua primeira exibição. Morgan entrou em uma descrição bastante detalhada das fontes que influenciaram o episódio, citando os livros “Brother’s Keeper” de Berlinger, “Darth Nature” de Sinofsky, e autobiografia de Charlie Chaplin. Da autobiografia de Chaplin recordou uma história sobre uma família que manteve o seu filho, que não tinha braços ou pernas, debaixo da cama. Morgan disse: “Ele teve uma exibição e em seguida foi proibido. Jim e eu não conseguimos fazer novamente por que não tínhamos dinheiro para isso.”

Duchovny contou que adora uma cena do episódio “Postmodern Prometheus”, e contou como “seu momento Mulder / Scully” favorito. Na cena, em que o par sair para dançar, Duchovny disse: “Era por isso que eu tinha um grande sentimento por ele”.

Vince Gilligan revelou que tentou fazer com que Drew Barrymore participasse da série, depois de “Home Fries” para um episódio baseado em uma história de “Twilight Zone” em que uma criança poderia levar pessoas para o campo de milho. E explicou que não deu certo porque “Seu agente me ligou e disse: ‘Pare de incomodar minha cliente.”

Sobre como Scully mudou a maneira das personagens femininas serem retratadas Anderson disse: “Scully tinha um enorme impacto sobre as pessoas, a partir de aspectos de sua personalidade e de sua força pessoal. Mas ela também era um ser humano decente. As pessoas a ouviam e ela chegou a mandar nas pessoas ao redor”. Carter  acrescentou dizendo: “Scully era o meu tipo de mulher que eu fantasiava. Ela era forte, inteligente, teimosa, resistente e engenhosa. Todas essas coisas que eu gosto.”

Ainda sobre Scully, perguntaram o que ela sentiu ao saber que sua personagem influenciou mulheres em todo o mundo e Anderson respondeu: “Um monte de mulheres realmente vieram-me dizer que começaram a estudar física por causa de Scully.” Ela também falou sobre algo chamado de efeito Scully, que era um livro de explicação para um aumento notável de mulheres cientistas. Duchovny brincou: “Os homens muitas vezes vêm até mim e dizem que encontraram a sua Scully, por causa de Mulder”.

Carter comentou que a série começou em um período Pós-Guerra Fria e que até hoje continua relevante. Onde as suspeitas e conspirações seriam interessantes nos dias de hoje. Acreditando que se Arquivo X voltasse agora, ainda teria muita coisa atual que fizesse sentido na série. E comentou que apenas em 2002, depois do 11 de setembro eles passaram um período desacreditados em um retorno, por que as pessoas precisavam ter fé no governo.

Por fim, tocaram novamente no assunto “O retorno de Arquivo X” e Anderson respondeu que era tudo uma questão de tempo. Mas que existiam empecilhos com relação ao tempo de cada ator e escritores. Se algum dia veremos Anderson e Duchovny juntos em um universo fora de Arquivo X, ele respondeu que o relacionamento de Mulder e Scully era realmente algo sagrado e que teria que ser algo realmente especial para fazer isso acontecer.

 

Tags: , , , , , ,


Sobre o Autor

Criadora do Espalha Fato. Viciada em séries como The Good Wife e Will and Grace, além de milhares atuais. Fã dos anos 80, suas músicas e clássicos do cinema. Fotografa, blogueira e desenhista por paixão. Web Design por formação.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑