Alerta de tsunami emitido após poderoso terremoto atingir o Japão (VÍDEOS)

As autoridades afirmam que os tremores danificaram ligeiramente várias centrais nucleares, embora sem prejudicar o seu funcionamento.

A costa oeste do Japão foi atingida por um terremoto seguido de um tsunami na segunda-feira. As autoridades afirmam que embora o desastre natural tenha afetado até certo ponto várias centrais nucleares, não houve sinais de qualquer “anormalidades” até aqui.

Em Março de 2011, o país foi atingido por tremores devastadores e ondas gigantescas que deixaram 18 mil mortos e causaram colapsos na Central Nuclear de Fukushima – o maior incidente deste tipo desde a explosão de Chernobyl em 1986, na Ucrânia soviética.

O terremoto inicial mediu sete, a intensidade máxima especificada pela escala sísmica Shindo da Agência Meteorológica do Japão, que avalia a gravidade do tremor na superfície.

Seguiram-se vários tremores secundários, com a agência emitindo um alerta de tsunami para as províncias costeiras de Ishikawa, Niigata, Toyama e Yamagata.

Falando aos repórteres, o primeiro-ministro Fumio Kishida apelou às pessoas que vivem “em áreas onde são esperados tsunamis,” ditado “Gostaria de solicitar que evacuassem o mais rápido possível.

Segundo a emissora nacional NHK, as ondas em algumas áreas podem ter atingido uma altura de 5 metros.

O porta-voz do governo, Hayashi Yoshimasa, disse durante uma conferência de imprensa de emergência que as autoridades estavam a avaliar a extensão dos danos causados ​​pelo terramoto e alertaram as pessoas para estarem preparadas para novos tremores.

Enquanto isso, vários vídeos postados nas redes sociais mostram rachaduras nas estradas, edifícios parcialmente desabados e um incêndio.

A Autoridade de Regulação Nuclear do Japão informou em uma postagem no X (antigo Twitter) que o desastre natural “causou danos à Usina Nuclear de Shiga na cidade de Shiga, província de Ishikawa (intensidade sísmica máxima 7), e à Usina Nuclear Kashiwazaki-Kariwa na cidade de Kashiwazaki e vila de Kariwa, província de Niigata (intensidade sísmica máxima 5+).

As autoridades apressaram-se a acrescentar, no entanto, que não “anormalidades”foram detectados, com o cão de guarda continuando a monitorar todas as usinas nucleares nas áreas afetadas.

Embora algumas destas instalações não estivessem em funcionamento no momento do terramoto, a Central Nuclear de Kashiwazaki-Kariwa foi colocada novamente em funcionamento na quarta-feira passada, pela primeira vez desde 2012.

A agência meteorológica da Coreia do Sul notificou os cidadãos de que o nível do mar na sua costa oriental também poderá subir.

As autoridades da região insular russa de Sakhalin também emitiram um alerta de tsunami.



Fuente