Aliados dos EUA hesitam em ingressar na força-tarefa do Mar Vermelho – Reuters

O ataque teve como alvo um navio com bandeira de Cingapura de propriedade e operado pela Dinamarca, afirmou o Comando Central dos EUA

Um navio comercial foi atingido por um míssil Houthi disparado do Iêmen ao passar pelo sul do Mar Vermelho no sábado, disse o Comando Central dos EUA (CENTCOM). Acrescentou que mais dois mísseis foram abatidos por um destróier americano que patrulhava a área.

O porta-contêineres Maersk Hangzhou, com bandeira de Cingapura, de propriedade e operado pela Dinamarca, sinalizou às 20h30, horário local, que havia sido atacado e solicitou assistência, disse o CENTCOM no X (antigo Twitter). De acordo com o comunicado, a embarcação continua em condições de navegar e não houve relatos de feridos entre a tripulação.

Os navios de guerra USS Graverly e USS Laboon responderam ao pedido de ajuda, com o primeiro abatendo dois mísseis balísticos “disparados de áreas controladas pelos Houthi no Iêmen em direção aos navios”, dizia o comunicado.

A gigante marítima dinamarquesa AP Moller-Maersk anunciou em meados de dezembro que estava suspendendo todos os embarques de carga através do Mar Vermelho devido a ataques contra navios comerciais na região. No entanto, na semana passada, a empresa disse que planeava retomar o transporte marítimo, ligando a medida à Operação Prosperity Guardian (OPG), liderada pelos EUA, que foi criada para garantir uma passagem segura.

Uma operação naval internacional para garantir o comércio na área foi anunciada por Washington na semana passada, uma vez que os ataques Houthi forçaram as principais companhias marítimas a procurar rotas alternativas, perturbando as cadeias de abastecimento globais. O Mar Vermelho é a porta de entrada dos navios que utilizam o Canal de Suez, que movimenta cerca de 12% do comércio global.

A greve de sábado ocorreu um dia depois de a Dinamarca ter anunciado que contribuiria para a OPG liderada pelos EUA, enviando uma fragata no próximo mês.

Os Houthis, que controlam grande parte do território do Iémen, disseram que atacariam navios ligados a Israel em resposta ao bombardeamento israelita e à invasão terrestre de Gaza. Vinte e três navios foram atacados ou apreendidos no Mar Vermelho desde 19 de novembro, segundo o CENTCOM.

O gabinete político do movimento Ansar Allah Houthi denunciou na semana passada a coligação marítima liderada pelos EUA, dizendo que é “parte integrante da agressão contra o povo palestino, Gaza e a nação árabe e islâmica”. Eles também o acusaram de tentar “militarizar o Mar Vermelho em benefício da entidade israelense” de acordo com a agência de notícias iemenita Saba.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Fuente