Bellingham, no banco com gelo no tornozelo esquerdo.

EEle é o último jogador dos onze Real Madrid a quem ele anuncia palestrante do Bernabéu. Porque Jude Bellingham É a grande estrela deste Real Madrid, o ídolo de Chamartín e o galáctico que conseguir pousar terá que trabalhar muito para se aproximar do que o inglês conseguiu em apenas oito meses como jogador branco. Quando saiu, aos 56 minutos, atingido no tornozelo com uma pancada que não o impediu de marcar o 3-0, o Bernabéu levantou-se para lhe dar uma daquelas ovações reservadas aos seus escolhidos.

Aí todos os alarmes disparariam ao saber do laudo médico: torção de tornozelo e evolução pendente. Amanhã ele será testado, mas é uma dúvida séria jogar contra ele. RB Leipizig. Levando em consideração que o duelo é daqui a três dias, o mais normal é que o inglês não jogue. Mais problemas para Ancelotti, que leva isso muito filosoficamente. “Não poderia estar mais preocupado, porque hoje batemos o recorde mundial ao ter os quatro defesas-centrais lesionados.”

Sua contagem de gols disparou desde o início da temporada. São números inadequados para um meio-campista, porque a realidade é que não se sabe mais se Bellingham é meio-campista ou a versão de Alfredo di Stéfano do século XXI. Porque, assim como La Saeta Rubia, Jude aparece em qualquer lugar do campo e é mortal na área rival.

Uma imagem que preocupa

Bellingham, no banco com gelo no tornozelo esquerdo.

Contra o Girona ele fez o 2 a 0 primeiro. Um gol de goleiro, de um predador em campo aberto. Vinícius, com um passe extraordinário com o exterior da escola de Luka Modricsim Bellingham Ele deu uma lição sobre como lidar individualmente. Ele se esquivou da saída Gazzaniga, Ele saiu pela esquerda e quando o ângulo foi reduzido chutou para a rede e fez 2 a 0.

O segundo, o terceiro do Real Madrid, surgiu depois de uma jogada monumental de Vinícius, uma indignação que o goleiro do Girona evitou. Mas aí apareceu Bellingham, na zona do aríete para empurrar a rede. Objetivo de preparação.

São 20 pontos com sua assinatura, o que torna o que parecia impossível agora mais do que possível. E é chegar a 26 pontos de Fernando Hierro (21 na Liga) graças a Radomir Antic na temporada 1991-92. É o valor mais elevado para um médio do Real Madrid. O 18 de pequeno em 2000-01.

Mais um recital incrível

Já se sabe há muito tempo que o inglês é candidato a terminar a temporada como artilheiro. A caminho dos dois terços do campeonato, esses 16 gols o colocam mais uma vez no topo da tabela de pontuação acima Dovbyk (Girona) e Prefeito de Borja (Getafe). Ancelotti insiste que não é um 9. É verdade. Mas ele é um artilheiro que marca em qualquer contexto e em qualquer exigência do roteiro. A sua lista de golos é tão extensa em número como em repertório: com as duas pernas, de cabeça, de grande penalidade, vindo de trás, estaticamente na área, de perto, de longe…

Foi o gol que colocou o jogo em equilíbrio. E na LaLiga, porque a distância com o Girona cresceu para cinco pontos. Um golpe de autoridade de Madrid. De Madri a Bellingham. Ele Bellingham quem é o ídolo do Bernabéu.



Fuente