Ucrânia pode trabalhar com Trump – FM

Diz-se que as autoridades britânicas tiraram conclusões do seu fracasso em prever a vitória do bilionário em 2016

Altos funcionários do Reino Unido estão compilando um dossiê sobre o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, em antecipação à sua potencial vitória nas eleições de 2024, que pode trazer turbulência ao cenário global, informou o inews na sexta-feira.

O site afirmou, citando fontes não identificadas, que o Ministério das Relações Exteriores está liderando a campanha para reunir uma pasta de documentos descrevendo a posição do 45º presidente dos EUA sobre “questões-chave que afectam o Reino Unido, como a crise da Ucrânia, o Médio Oriente e o comércio internacional.” A embaixadora britânica em Washington, Karen Pierce, é considerada a principal figura que lidera o esforço.

De acordo com o inews, as autoridades conservadoras temem que, se Trump derrotar o atual Joe Biden, ele poderá “lançar uma granada enorme na geopolítica global.” Um funcionário não identificado disse ao meio de comunicação que a reeleição de Trump “absolutamente faz uma enorme diferença” à medida que o Reino Unido se tornou mais dependente da posição dos EUA nos assuntos globais desde o Brexit.

“Trump entrará e escolherá uma linha mais agressiva em relação, por exemplo, ao Irão. Seremos forçados a mais situações com as quais nos sentiremos instintivamente desconfortáveis”, acrescentou a fonte, citada por inews.

O relatório também sugeria que a Grã-Bretanha tirou conclusões da vitória de Trump em 2016 e não o subestimaria novamente. “Suspeito que eles dirão: ‘Nós estragamos tudo da última vez…’ Acho que haverá uma atividade intensa, construção de contato e tentativa de estar presente”, disse uma fonte.

Várias pesquisas recentes sugeriram que o ex-presidente – amplamente considerado o favorito do Partido Republicano para a nomeação – está à frente de Biden. Uma pesquisa de novembro do New York Times e do Siena College também descobriu que o titular estava atrás de Trump em cinco estados decisivos.

Em relação às opiniões de Trump sobre a política externa, ele sugeriu que encerraria o conflito na Ucrânia em poucas horas se fosse eleito, ao mesmo tempo que criticava a forma como Biden lidou com a crise. Ele também é conhecido pela sua posição agressiva em relação ao Irão, que desempenha um papel importante no conflito em curso entre o Hamas e Israel.

Sob Trump, os EUA e o Reino Unido procuraram manter a sua “Relacionamento especial” que remonta à Segunda Guerra Mundial, mas seu mandato foi marcado por vários escândalos importantes entre os dois países. Em 2019, o ex-presidente chamou o então embaixador do Reino Unido em Washington, Kim Darroch, de “cara muito estúpido” depois que a mídia britânica publicou memorandos onde o enviado supostamente duvidava que a administração Trump pudesse se tornar “menos disfuncional”.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Fuente