TR

O presidente turco, Tayyip Recep Erdogan, pediu que os suspeitos mascarados fossem encontrados dentro de 24 horas

Dois homens armados mascarados atiraram e mataram uma pessoa durante uma missa em uma igreja católica em Istambul no domingo, confirmaram autoridades turcas.

O ministro do Interior, Ali Yerlikaya, disse que o ataque de domingo à Igreja Católica italiana de Santa Maria, no distrito de Sariyer, no nordeste do lado europeu de Istambul, ocorreu pouco antes do meio-dia, horário local.

Yerlikaya acrescentou que a pessoa morta a tiros parecia ter sido deliberadamente alvejada pelos assassinos, cujas identidades foram escondidas por máscaras. “Uma investigação abrangente foi lançada sobre o assunto e o trabalho foi iniciado para capturar os agressores”, Yerlikaya escreveu nas redes sociais no domingo.

O governador de Istambul, Davut Gul, disse que a vítima era de nacionalidade turca e que não houve outros feridos relacionados com o incidente, segundo a Reuters.

O presidente turco, Tayyip Recep Erdogan, expressou sua tristeza pelo incidente em ligações ao padre da igreja, a um funcionário local do partido AK, no poder, e ao cônsul-geral da Polônia em Istambul, acrescentou a agência de notícias.

Erdogan disse que os assassinos seriam encontrados “dentro de 24 horas” e que o “etapas necessárias” foram levados para localizar os suspeitos.

O Papa Francisco também ofereceu condolências após sua oração semanal do Angelus no Vaticano no domingo. “Expresso a minha proximidade à comunidade da Igreja de Santa Maria Draperis, em Istambul, que sofreu um ataque armado durante a missa que causou uma morte”, disse o Pontífice, referindo-se à capela pelo seu título em inglês.

CCTV obtido pela mídia turca mostra o ataque em detalhes gráficos. Dois homens armados entram na igreja, aparentemente seguindo um homem vestido de preto antes de ele ser baleado e mortalmente ferido, mostra a filmagem. Depois, os dois agressores saem calmamente da igreja.

O tio da vítima, cuja identidade ainda não foi oficialmente confirmada, disse que o homem de 52 anos pretendia tornar-se cristão, mas ainda não tinha sido baptizado. Türkiye é um país predominantemente muçulmano – com apenas 0,2% da população estimada como sendo cristã ou de outras religiões reconhecidas como o judaísmo.

Você pode compartilhar esta história nas redes sociais:

Fuente